Casas

ELES VIVEM NA CASA DOS SONHOS – UMA DAS CASAS MAIS LINDAS QUE JÁ TE MOSTREI

Por junho 16, 2019 Sem Comentários

No vídeo de hoje, apresento a casa linda da família da Lu Raunaimer e do Diego Verri. Uma casa onde a gente nota amor em todos os cantos – nas cores, nas texturas, nos detalhes…

Fiz questão de que fosse uma gravação sem pressa. Porque apenas o fato de chegar nessa casa já é uma experiência bucólica. Nem parece que estamos numa cidade grande. 

É um imóvel antigo, muito bem conservado em suas características de construção. O casal tentou preservar tudo que era original. 

“É uma casa que foi construída pelos pais dos antigos moradores, que a projetaram como um sonho e viveram aqui também como um sonho. Pessoas que cresceram e criaram filhos e netos nesta casa de sonho. Um lugar que cativou a gente já na primeira visita. A única coisa que fizemos foi deixá-la funcional para os nossos dias”, explica a Lu.

“Era uma casa com padrão da década de 60, com elementos arquitetônicos que nos cativaram muito. Ela tinha tudo que a gente precisava, só tinha que ser atualizada. A gente tentou honrar as memórias desta casa”, completa o Diego.

Os pisos na varanda e na sala foram uma das coisas que mais me chamaram atenção logo de cara. Segundo o casal, o piso sofreu apenas um leve restauro para ser mantido. Quem me conhece sabe que ali mesmo já comecei a me emocionar com esse lugar.

Além de arquitetos, a Lu e o Diego também são designers de mobiliário. Esse lado deles está bem presente aqui.“Trabalhamos com design infantil há 7 anos. Com a compra da casa, a gente se viu na necessidade de desenhar o mobiliário deste espaço”, conta a Lu.

A estante na sala foi desenvolvida pelo casal, com inspiração num peça da Lina Bo Bardi, mas com toque pessoal em formato de girafa estilizada. Além de acomodar os objetos garimpados pela Lu, o móvel dá uma moldura bonita para a janela da sala e preserva uma leveza na parte superior para não “competir” com a clássica sanca de estuque no teto.

Reparem no sofá da sala. Também desenhada pelo casal, a peça é moderna, mas remete a um universo cheio de histórias. Além de ser lindo e confortável, o sofá ainda foi posicionado para dividir o ambiente de uso comum da parte reservada, que dá acesso aos quartos. Não foi preciso construir uma parede. Não é incrível?

Atrás do sofá, os três ambientes de uso reservado. 

A primeira porta é a do quarto do casal. “Este foi o primeiro ambiente que a gente visitou na casa, depois da sala. Foi o ambiente que aqueceu meu coração”, conta o Diego. Não é para menos: a parede toda revestida em madeira é um aconchego. 

Uma peculiaridade deste quarto é que a janela não está alinhada ao eixo central do cômodo. O projeto do casal para este ambiente demandava uma janela centralizada. Para não ter que reposicionar a janela, o que mudaria a fachada da casa e aumentaria o custo, o casal usou um truque: uma cortina posicionada no eixo central do quarto, de modo a dar a sensação de que a janela está centralizada no cômodo, exatamente da forma planejada por eles. Simples e eficiente. Uma excelente dica!

Achei também maravilhosa a dica que a Lu deu para armários antigos que não estão nas melhores condições por dentro: caixas de madeira sob medida, instaladas na parte interna do móvel. Você usa o armário antigo e lindo, mas suas roupas ficam acomodadas em uma peça novinha por dentro. Uma maneira simples de reformar seu armário antigo, mas ainda bonito. Essa eu anotei!

A segunda porta é do lavabo. É encantador como eles conseguiram misturar bem o moderno com o antigo, não apenas neste ambiente. Por exemplo, as torneiras pretas de metal instaladas na pia antiga do lavabo conferem um leve toque industrial em meio a referências de época. Para completar, espelhos garimpados pela cidade – e até pela internet. “Gastei oitenta reais neste espelho!”, comemora a Lu, mostrando o espelho principal no lavabo. Fiquei de queixo caído. 

“A gente fez questão de fazer a cuba de granilite do lavabo deslocada da parede para não haver respingo que acabasse estragando o papel de parede”, explica a Lu. “Com isso, a gente também conseguiu um efeito bacana de acabamento. Parece que a pia está flutuando”, completa o Diego. 

A terceira porta é a do quarto das duas filhas do Diego e da Lu. O mobiliário, o papel de parede, o enxoval, os bichinhos de pelúcia – tudo foi confeccionado pela empresa do casal. O resultado é um ambiente verdadeiramente mágico, nos mínimos detalhes. 

O banheiro deste quarto foi adaptado para o uso infantil.“Este banheiro está todo configurado para quando as meninas ficarem maiores, mas ele foi pensado para que hoje elas tenham autonomia”, conta o Diego. Tudo foi preparado para que, no futuro, elas consigam facilmente readaptar a pia e o vaso sanitário, por exemplo, para o uso adulto. 

Dali, voltamos para os ambientes de uso comum. Onde hoje fica a sala de jantar, antes era o banheiro da casa. “A lajota desse banheiro era verde. Como todo isso foi derrubado, a gente se sentiu na obrigação de usar o verde nos ambientes que a gente iria reconstruir. Por isso nossa cozinha é verde”, ressalta a Lu. 

Mas antes de irmos para a cozinha, vamos curtir um pouco mais esta sala de jantar. O ambiente é composto por um papel de parede emulando uma pintura tropical, decorada com um espelho bem moderno e um buffet de madeira restaurado, herdado da antiga proprietária. Esse jogo de contraste entre o antigo e o novo é complementado ainda por um vaso que já estava na casa e uma mesa de mármore Paraná, ladeada pelas cadeiras criadas pelo casal.

A ideia inicial era uma mesa em mármore rosa. Mas o custo elevado dessa pedra fez com que a Lu e o Diego buscassem alternativas mais acessíveis. Eles acabaram optando pelo brasileiríssimo mármore Paraná, uma boa opção para quem não quer gastar muito. “É uma pedra muito mais barata que o mármore rosa. E quanto mais rosa a pedra, mais barata ela é. As pessoas geralmente optam pelos tons mais claros do Paraná, e a gente queria exatamente o contrário”, explica a Lu. 

Fica a dica: mudar nosso olhar para o que é considerado imperfeito pode revelar o belo a um custo moderado. É tudo questão de perspectiva.

E vejam só que gostosa ficou a cozinha! O casal queria que este espaço fosse bem iluminado e integrado com o resto da casa. Para isso, optaram por remover as paredes e, no lugar, instalar divisões de vidro com portas em caixilho, feitas pelo próprio pai da Lu. Esta opção tem a enorme vantagem de isolar o ambiente quando necessário. “A gente usa muito esta cozinha quando recebe os amigos lá fora, então a gente queria preservar os quartos do barulho e do cheiro da cozinha nesses momentos”, ressalta a Lu. 

Basta um abrir de portas e a cozinha do casal fica inteiramente integrada a sala e com o quintal do fundo.

Eu me senti verdadeiramente numa casa de férias no interior visitando esse lindo projeto. Encerramos com um delicioso café no quintal da casa, uma experiência bucólica em plena São Paulo! 

Se você gostou deste projeto da Lu Raunaimer e do Diego Verri, clique aqui e conheça mais casas com alma e criativas mundo afora.

Deixe um Comentário