Casas

NÔMADES DO SAARA – CASA EM MOVIMENTO

Nômades do deserto do Saara e suas casas em movimento.

 Você já quis mudar de vida? Largar tudo e fazer alguma coisa diferente?

Pois lá no Marrocos eu conheci umas histórias de nômades que me inspiraram e aqui conto uma delas para vocês.

Quando planejamos a viagem para o Marrocos, o que a gente mais queria era viver uma aventura verdadeira, ou seja, que não fosse algo tão turístico.

Foi assim que chegamos a empresa WILD MOROCCO especializada em aventuras realmente inusitadas e selvagens no Marrocos.

Conhecemos a Emily, uma inglesa que estava de saco cheio da vida em escritórios de Londres e quis mudar de vida. Todo mundo um dia já quis mudar de vida, não é? Pois a Emily fez!

E aqui vou te mostrar como quando seguimos nossos sonhos, contribuímos para a realização dos sonhos de tantas pessoas.

Às vezes nem imaginamos como o nosso passo para ser feliz vai contagiar tantos outros pelo mundo. Então falo de uma história sobre uma casa diferente.

Falo sobre movimento da vida, ou seja, a casa que trato aqui é dos nômades do deserto do Saara.

A Emily então largou a Inglaterra e se mudou para o Marrocos para viver grandes aventuras e trabalhar ao mesmo tempo.

Lá ela conheceu o Iahya, um marroquino de origem berbere.

O Iahya até a adolescência era nômade, junto com a familia no deserto do Saara.

O CAMINHO DA LIBERDADE VERDADEIRA VEM DA VERDADE INTERIOR

O caminho para mudar de vida é quando sentimos o que é realmente verdade em nossa alma em nossa essência interior.

Então, a Emily juntou a sua vontade de viver o inusitado com a habilidade natural do Iahya em explorar o deserto do Saara e mostrar suas raízes nômades.

Assim eles criaram a empresa Wild Morocco e levam turistas de todo o mundo para descobrir o deserto do Saara da forma mais original e verdadeira possível.

Dois sonhos juntos que se encontram para realizar o sonhos de tantos outros 

Nada como você está com um Berbere de verdade explorando o deserto do Sahara.

As paisagens são deslumbrantes, pegamos até tempestade de areia, vimos os dromedários e a vida como é no dia a dia.

Aliás eu falo no vídeo “camelo”, mas na verdade são dromedários. O camelos têm duas corcovas e os dromedários apenas uma. Nosso objetivo ao atravessar o Deserto do Saara era chegar até o acampamento.

O próprio caminho já vale toda a viagem.

Ao chegarmos ao acampamento é que percebi que a estrutura era bem melhor do que eu imaginava.

A começar pelas tendas que são feitas de pêlo de dromedário.

Nas tendas tem camas, banheiros, pia, torneiras.

Eles proporcionam uma experiência real, mas dando todo o conforto.

À noite os homens berberes tocam músicas tradicionais em frente a fogueira.

O acampamento fica lindo iluminado à noite com as velas e luminárias marroquinas.

Agora que já estávamos mais acostumados com o Deserto do Saara, fomos visitar uma família nômade que ainda vive pelo deserto, como seus antepassados faziam há centenas de anos.

Fiquei impressionado e muito feliz em poder entrar na tenda desta família nômade. A senhora da casa estava sempre com um fole, instrumento de soprar o fogo para mantê-lo acesso.

Eles nos ofereceram chá

e este foi o momento mais National Geographic que eu já vivi na vida.

Eu avalio muito o que a palavra LUXO significa para mim. E neste caso, quando eu estava no meio do Deserto do Saara tomando chá com este povo eu pergunto “O que é LUXO” nesta nossa existência?

Cada pessoa e cada momento individual define luxo, mas estar ali no meio de deserto com absolutamente nada ao nosso redor a não ser a aridez, e poder tomar um chá berbere com aquela família foi para mim, naquele momento, a maior experiência de luxo que já vivi.

Dali saímos e eles armaram um almoço no meio do nada. De repente tinham a toalha, a panela, o fogo na areia cozinhando carne no meio do deserto.

O ponto alto foi quando o Bashir, um dos berberes que nos guiaram, fez um fogueira na areia. Fez uma massa de pão na hora e colocou para assar na areia quente que ele preparou com a fogueira.


Imagine a minha cara quando ele tira o pão, ele está assado e sem areia. Limpo e delicioso.

Isso é viver uma experiência nômade real e exclusiva.

Como os caras conseguem tirar do restrito ambiente em que vivem o melhor que eles podem.

Isso é a grande viagem que às vezes estamos em busca.
Por isso nosso encontro com o WILD MOROCCO foi  um encontro real de identificação.

Ao mudar de vida, a Emily muda a vida de muita gente.

O que eu mais aprendi com a convivência com eles?
Tirar o melhor do que a gente pode daquilo que a gente tem.
Admirar a beleza que está ao nosso redor.
Analisar e a palavra luxo.

Quando forem para o Marrocos vivam esta experiência.
Aproveite para conhecer a Emily, o Iahya e o Bashir
O site dele é wildmorocco.com
o facebook também é
www.facebook.com/wildmorocco

Quem organizou toda esta viagem foi meu super companheiro e fotógrafo Alexandre Disaro do blog viveraviagem.com.br
O Instagram dele é DEMAIS:
instagram.com/viveraviagem

 

 

 

 

Sempre existiram. Pessoas, lugares, encontros. Sempre existiram. Tangíveis, palpáveis, inimagináveis. Sempre existiram. Criações, intenções, ilusões. Sempre existiram. Existem, sempre existirão. Cenas que não são vistas somente com os olhos.

Write A Comment